Ectoplasmia

Ectoplasma emanando pelo nariz

Ectoplasmia é um vocábulo que deriva do grego ectos = fora e plasma = coisa formada ou modelada.

Ectoplasma é uma massa mais ou menos  informe, gelatinosa, esbranquiçada, que sai do corpo dos médiuns, ou melhor, das pessoas parapsicologicamente dotadas. portanto, ectoplasmia designa o fenômeno, ectoplasma a substância.

Ectoplasmia é uma exteriorização e condensação de telergia, mais ou menos moldada, capaz de produzir figuras como seja uma mão rudimentar ou figuras humanas. Segundo o parecer de todos os especialistas, é uma energia transformada, a julgar pelas suas variadíssimas funções. O ectoplasma emana do dotado e nele, depois, se reabsorve, uma vez que se forma do corpo do dotado. É como uma prolongação do corpo e da sensibilidade da pessoa em questão.

Ectoplasma envolvendo a dotada parapsicologicamente

                                                                     FRAUDES

Como em todo fenômeno dessa natureza, deve-se primeiro ter o cuidado de excluir completamente a fraude.

Talvez o maior trucador em ectoplasmia tenha sido o médium espírita Ladislas Lassio, natural da Hungria. A médium escocesa Helena Victoria Duncan era considerada pelos espíritas como uma das melhores provas da intervenção dos espíritos do além. Sua especialidade era a ectoplasmia.

Acontece, porém, que o especialista em ilusionismo Harry Price descobriu todo truque, assim a médium caiu do seu pedestal. Tratava-se de regurgitação. Era ela capaz de expelir em parte e reabsorver, no estômago e no esôfago, sem nenhum espasmo  de vômito, as substâncias ingeridas. Aliás uma qualidade rara, que supõe muito treinamento até dar certo.

As técnicas e os instrumentos de truque para produzir ectoplasma são muitos: Tecidos de seda e musselina, gaze de diversos tipos, pulmões de animais, até mesmo cordões umbilicais e intestinos de animais tem-se usado, por incrível que pareça. Um tecido especial de “seda” japonesa de 1,3 cm de volume pode formar um balão de cinco metros de diâmetro. Devido ao exíguo volume torna-se fácil esconder esse material de truque em alguma cavidade do corpo humano. As possibilidades de truque, neste particular, são enormes.

                                             SEMELHANÇAS NO MUNDO ANIMAL

Diga-se de passagem que no mundo dos animais observamos diversos fenômenos que lembram a ectoplasmia. Assim, por exemplo, algumas aves de rapina da Venezuela, da família das catárdidas, durante a digestão, emitem pelas narinas um líquido viscoso, esbranquiçado, que se assemelha ao ectoplasma.

Algo parecido se dá com os protozoários. As amebas emitem, do seu corpo celular, pseudópodes; lançam-nos contra suas presas…depois absorvem-nos de novo no seu corpo.

                                          ECTOPLASMIAS AUTÊNTICAS

Eva Carrère foi talvez a dotada que mais se distinguiu na ectoplasmia pura. Foi estudada pelo Dr. Schrenck-Notzing e pela Senhora Bisson. Para evitar toda e qualquer fraude foi adotado o maior rigor possível no controle. Nos anos de 1909 e 1910 saía do corpo de Eva uma substância acinzentada, meio branca em bastante quantidade. Houve ectoplasmias notáveis. Cerca de duzentas pessoas, entre elas as mais céticas e os melhores especialistas neste tipo de investigações, foram convidadas a assistir às sessões, ficando convencidas da autenticidade de muitas ectoplasmias.

Não se nega, evidentemente, a possibilidade e mesmo algum fato de algumas fraudes, em ocasiões em que o controle foi algum tanto negligenciado.

Também Eusápia Palladino produziu, em plena luz, e sob as melhores condições de controle verdadeiras ectoplasmias. E quando o fenômeno não se manifestava lançava de truques, para salvar as aparências.

Experimentos realizadas com a médium Eusápia Palladino.
A Telergia nada mais é que exteriorização e condensação de telergia mais ou menos moldada.

O dotado Willy Schneider foi estudado pelo Dr. Schrenck-Notzing nos anos de 1922 e 23, em Munique. Associaram-se a essas investigações, 24 professores universitários, 18 médicos, 19 cientistas, além de um perito em mágicas. Esteve presente também o Dr. Gustavo Gelley, diretor do “Institut Metapsychique International” de Paris e o Dr. Eric J. Dingwall, cético e excelente parapsicólogo. Todos eles ficaram convencidos da autenticidade das manifestações ectoplasmáticas.

A sala era iluminada com suficiente luz vermelha. Willy estava seguro por dois controladores; além disto seus braços e joelhos estavam munidos de pontos fosforescentes que delatariam qualquer movimento. Willy durante o transe ficava na mais absoluta imobilidade. Os 94 investigadores excluíram todo e qualquer tipo de fraude, tal era o rigor do controle.

Willy foi encerrado numa caixa de gaze, com uma única e estreita abertura, por onde seguravam suas mãos. Fora da caixa de gaze colocavam-se os objetos a movimentar, a um metro e meio de distância. Nessas condições saíam da boca, das costas e do epigástrico de Willy formações ectoplasmáticas que, junto ao corpo do dotado, tinham a forma de cordões, e à medida que iam avançando adquiriam a forma de hastes  e, na extremidade, a forma de mãos rudimentares. Esses ectoplasmas por vezes eram visíveis, outras só se percebiam mediante o tato, apesar da dor intensa que então Willy manifestava com seus gritos. O ectoplasma não atravessava a gaze, mas saía serpenteando e apalpando as mãos dos controladores pela estreita abertura. O ectoplasma realizava pequenas telecinesias, mais raramente com um objeto mais pesado, como seja: certa feita foi transportada uma vitrola de sete quilos e meio de peso. Em algumas ocasiões o ectoplasma atravessou a parede de gaze, fazendo soar depois uma vitrola… Willy, entretanto, permanecia completamente imóvel. Todas as testemunhas qualificadas depuseram, que o fenômeno se deveu a uma projeção de ectoplasma sólido que partiu do lado direito das costas de Willy, em forma de haste fina. O levantamento dum lenço, por movimentos enérgicos, permanecendo no ar por três ou quatro segundos, foi outro fenômeno claramente observado naquela ocasião. O célebre escritor Thomas Mann, que se achava presente nessa determinada sessão observa: “Pensar em truque é um absurdo… não havia absolutamente ninguém para fazê-lo”.

Ectoplasma realizando a telecinesia em uma mesa

Nas experiências em série, realizadas pelo Dr. Crawford, verificamos também o ectoplasma a manifestar-se em forma de alavanca, como em certos casos com Willy Schneider, em figura de haste.

Tanto a alavanca de Crawford, como a haste de Willy apresenta mil formas diferentes e desempenha os trabalhos mais diversos. A alavanca se curva, se inclina, serpenteia, dobra-se dirige-se a um lado ou a outro, estreita-se, alonga-se, de acordo com as exigências do caso.

É claro que o polipsiquismo do grupo pode contribuir muito para o sucesso mais espetacular do fenômeno.

O leitor desejoso de aprofundar esse assunto para sua orientação científica ou ideológica recorra aos dois volumes “As forças Físicas da mente” de ). Quevedo. Aduzi alguns fenômenos dos médiuns acima, por pertencerem ao rol dos mais invocados pelos espíritas, e por outra, serem dos mais bem estudados pelos especialistas no ramo.

FONTE: Trecho do livro “Panorama da Parapsicologia ao alcance de todos – Edições Loyola”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s